As pedras que flutuam



No caminho da nosso vida encontramos muitas pedras que significam dificuldades e obstáculos para ultrapassar. São desafios que é preciso superar. Algumas pedras são maiores que outras. E muitas são autênticos colossos. Se quisermos seguir em frente temos que as remover ou contornar. Perante um obstáculo a nossa primeira tentação é dizermos mal da nossa vida, lamentarmos a nossa sorte e amaldiçoarmos os que não nos deixam avançar, colocando-nos pedras no caminho. Esse primeiro impulso é apenas perda de tempo e desperdício de energia. A vida coloca-nos à prova com pedras no caminho. É preciso superarmos os desafios para aprendermos e crescermos. Só assim avançamos em nós. Só desta forma nos transformamos no que verdadeiramente somos, nessa estrada de constante metamorfose. Em cada dificuldade surge uma aprendizagem. Mesmo em contextos muito difíceis há sempre coisas boas e lados positivos para absorver. Avançar é superar, desconstruir, reconstruir…aprender. Se olharmos para trás, para o caminho andado, podemos contabilizar tudo o que aprenderemos através da superação dos obstáculos da viagem. E se contemplarmos o que fizemos e o esforço que colocámos na resolução de problemas e afins percebemos, com a necessária distância, que todas as pedras que encontrámos flutuam agora na nossa mente. Giram à nossa volta. Envolvem-nos. São sinais presentes que nos recordam os momentos difíceis e a respectiva superação, indicando-nos os caminhos por onde não devemos ir. As pedras, em geral, vão ao fundo das águas. Mas estas, por serem simbólicas, flutuam sobre as águas em que navegamos e em todas as geografias que desejamos percorrer. Pairam sobre nós como referências de segurança e, sobretudo, como marcas de esforço e superação. Devemos olhar para elas com alegria e conforto. Afinal a história da nossa vida está ali expressa em cada uma delas. Se tivermos a sorte de ver muitas pedras flutuar à nossa volta isso significa que tivemos uma vida de grande aprendizagem. E isso é uma grande benção que nos foi concedida. Saudemos o caminho com todos os seus obstáculos e desafios para que possamos contemplar as pedras que flutuam à nossa volta.