Viernes, 7 de agosto de 2020

A fronteira que se atravessa

Depois de muito tempo voltei a atravessar a fronteira. Parece uma coisa simples mas depois de meses de confinamento e de muitas restrições devido à pandemia, a passagem para o lado de lá tem um sabor extraordinário! É um bálsamo é um reforço de energia para enfrentarmos a dureza dos tempos que aí vêm. A fronteira estava no mesmo sítio mas não era a mesma uma vez que tudo mudou! Os olhos que se vêm por cima das máscaras revelam agora um misto de medo e de esperança. Não há abraços nem sonoridades efusivas que embrulhem a alegria de outros tempos. Há agora mais silêncios mas também mais cumplicidade entre todos. No fundo, sabemos que só em conjunto podemos ultrapassar as enormes dificuldades que se abateram sobre nós. Os portugueses e espanhóis que atravessam a fronteira criam alento dos dois lados e alimentam a esperança do regresso à normalidade. E para que ela verdadeiramente aconteça precisamos, mais do que nunca, de união ibérica para derrotarmos a pandemia e o pandemónio em que se vai transformando a economia. Apesar das circunstâncias e do quadro que acabei de descrever o sol voltou, no final da tarde, a exibir as suas cores divinais querendo dizer-nos para não desistirmos das coisas que importam. Assim faremos, todos.