Jueves, 12 de diciembre de 2019

É preciso alimentar a esperança!

“A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação ensina-nos a não aceitarmos as coisas como estão; a coragem, a mudá-las.” Santo Agostinho

Nem todos os dias se enchem de sol. Há dias mais cinzentos, mais escuros e sombrios. Por isso, temos que ser otimistas, mantendo o sorriso da esperança, para que o nosso rosto possa ter brilho mesmo quando a neblina nos invade o caminho. Assumindo as coisas desta forma e percebendo que não há caminhos fáceis, devemos alimentar a esperança e o otimismo para olharmos sempre frente, para o lado positivo da vida. Os obstáculos colocam-nos à prova! Só temos que os superar e seguir a nossa viagem! Seguiremos mais fortes depois de termos superado determinados momentos e também depois de nos termos superado, tantas vezes muito para além do que algum dia imaginámos. As dificuldades fortalecem-nos e dão mais valor ao caminho. Às vezes, pensamos que não existem soluções para os problemas. Sentimo-nos exaustos, abatidos e em desânimo completo. Se nos deixarmos envolver nesse lençol de pessimismo não conseguimos avançar. Não conseguimos resolver nada. Apenas serviremos para alimentar o queixume e a lamentação. No meio das batalhas que travamos com os outros e connosco precisamos de descansar, parar e reflectir sobre o que está a acontecer à nossa volta. Depois desse exercício, sempre inteligente, devemos erguer-nos para continuarmos a nossa batalha até a vencermos! Não precisamos de entrar em todas as batalhas! Mas também não devemos deixar que derrubem as muralhas da nossa retaguarda, da nossa fortaleza interior e também de todos os nossos limites. A vida é assim. É um desafio constante. É uma prova de esforço e, provavelmente, uma maratona que devemos realizar com prazer. A vida também pode ser um instante. Um fogacho! Um sprint! Ninguém sabe! Ninguém sabe a sua hora ou o que o destino escreveu sobre o tempo do nosso caminho. Nem vale a pena pensarmos nisso! O que verdadeiramente interessa é que o caminho se faça com alegria e determinação. Alegria para vivermos os momentos bons e determinação para vencermos todos os obstáculos que nos surgirem pela frente. A propósito da importância da esperança e do otimismo na nossa viagem, recordo Santo Agostinho: “A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação ensina-nos a não aceitarmos as coisas como estão; a coragem, a mudá-las.” Acompanho este pensamento antigo de um sábio da Igreja para, com esperança, continuar a não aceitar determinadas coisas, as que são como são, e também com a coragem necessária para as conseguir mudar. Primeiro, de forma inconsciente e depois de forma absolutamente consciente, decidi escolher o caminho mais longo, mais coerente e que, para mim, faz mais sentido. Demoro muito mais a chegar ao destino que escolhi. Mas este caminho longo dá-me um prazer incomensurável que nunca pensei alcançar, nem mesmo com a expectativa que escolhi ou, nem sei, que o destino escolheu para mim. Por isso, e apesar de ser um pensamento gasto, continuo a apreciar cada vez mais a aventura do caminho e a preocupar-me, cada vez menos, com a chegada e com o destino que um dia escolhi ou que o próprio destino destinou para mim! Não há liberdade maior do que esta … nomeadamente quando acertamos connosco que a liberdade é o melhor caminho para a felicidade! Também por isso a esperança será sempre o farol que dará luz ao meu caminho!