Domingo, 22 de octubre de 2017

Convoca-te!

“Para cultivar a sabedoria é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas a nossa vida complica-se. O impossível torna-se possível com a força de vontade.”  Dalai Lama

Neste sobe e desce da montanha que caracteriza a nossa vida deparamo-nos com momentos maravilhosos em que quase levitamos sobre os dias que correm. Também nos confrontamos com situações difíceis e outras que devido à sua extrema complexidade nos levam à exaustão. Por vezes, quando olhamos para o horizonte e não vemos saídas para os nossos problemas quebramo-nos, perdemos força e deixamos de acreditar nos dias de luz que estão mais à frente no caminho. É nesse momento que muitos desistem ou se deixam levar pela corrente que, regra geral, conduz a todas as sombras e marginalidades. É aí que muitos se colocam à margem das coisas, deixando passar a vida como se não existisse nada, nem dor nem prazer. Mas também é nas circunstâncias difíceis que muitos conhecem a verdadeira dimensão da sua força. Há momentos em que a única saída é sermos fortes! Não há outra opção! E é precisamente com essa força que julgávamos não possuir que abriremos todas as portas e que encontraremos as soluções para os nossos problemas. Como disse Nietzsche “o que não nos mata torna-nos mais fortes”. Neste sentido, as dificuldades do caminho fazem de todos os que não se rendem pessoas mais fortes, mais ponderadas e com maior capacidade de ajudar outras a ultrapassar obstáculos e a seguir em frente. Também por isso, principalmente no meio das tempestades, devemos olhar para nós, ter consciência das nossas competências e, acima de tudo, convocar a nossa força interior. É com essa força que vem de dentro e que tantas vezes está camuflada sob as folhas que caem das árvores no Outono que devemos metamorfosear-nos no que, verdadeiramente, precisamos de ser para seguirmos em frente. E ao procedermos assim, não atirando a toalha ao chão, resistimos e enfrentamos todas os trajectos difíceis e, ao mesmo tempo, aprendemos, ganhamos mais sabedoria e mais sentido de nós. A este propósito o grande Dalai Lama diz-nos que para cultivarmos a sabedoria “é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas a nossa vida complica-se. O impossível torna-se possível com a força de vontade.” O caminho é sempre uma aventura, com horas boas e más. Não o podemos percorrer pela metade se queremos chegar ao destino. Temos que ser nós, por inteiro. Com tudo o que temos de bom e de mau. E com tudo o que nos acontece de bom e de mau. Celebraremos todos os raios de sol que atravessarem a nossa viagem. Mas também convocaremos, sempre que necessário, toda a nossa força interior para, com persistência e resiliência, enfrentarmos e ultrapassarmos todos os obstáculos que as tempestades da vida nos trazem de vez em quando. E se não nos rendermos e, sobretudo, se não abanarmos a cada brisa que sopra mais forte, estamos a fortalecer a nossa capacidade de seguirmos caminho até à imensa geografia da felicidade. É também por isso que nunca nos podemos esquecer de nós. Não nos podemos colocar de lado. Temos que nos convocar, sempre!