Domingo, 23 de julio de 2017

Promover a harmonia

“A oposição produz concórdia. Da discórdia surge a mais bela harmonia.” Heráclito

Num mundo complexo precisamos, mais do que nunca, de promover a harmonia. Trata-se de uma tarefa complexa e exigente. Mas o caminho é por aí. E se queremos contribuir para o equilíbrio, ordem e entendimento no mundo devemos começar por nós e pela nossa atitude perante a vida, promovendo e procurando a harmonia a cada instante. Na turbulência dos dias a nossa reacção às coisas e aos acontecimentos é, quase sempre, o mergulho nas trincheiras que cavamos a toda a hora para, depois de nos defendermos dos ataques, atiramos pedras e tudo o que pudermos a quem nos tenta ferir. As coisas são assim, mesmo que as disfarcemos com palavras doces e comportamentos absolutamente civilizados! Quando ouvimos uma música agradável, repleta de harmonia, sabemos que ela é a expressão da combinação de vários sons simultâneos e de acordes que são agradáveis ao ouvido. A harmonia da música entra-nos pela alma dentro e enche-nos o coração de alegria e tranquilidade. A harmonia da música contagia-nos no melhor sentido. Faz-nos melhores seres humanos. Gostamos de música e aproveitamos o que ela nos dá. Mas, com excepção para os músicos e dos que estão mais próximos e atentos a esta arte extraordinária, raramente pensamos no trabalho que dá a composição musical. Quantas horas e quantas combinações foram necessárias para que determinada música refletisse harmonia e fosse agradável ao nosso ouvido? Quanto trabalho e esforço foi depositado na sua composição musical? A nossa vida precisa e merece que façamos um esforço de concordância e que promovamos acordos, equilíbrios e entendimentos para que a harmonia reine sobre o chão que pisamos. Precisamos de procurar simetrias e conformidades que contrariem tempos de confusão e de conflitualidade. Há demasiada agressividade no ar. Há demasiada intolerância. Mas, antes de olharmos o mundo através da nossa janela devemos, em primeiro lugar, olhar para dentro de nós para precisamente promovermos todas as simetrias que pudermos. Não acordamos todos os dias da mesma maneira. E a passagem dos tempos modifica o nosso humor e a nossa predisposição para enfrentarmos as vicissitudes de cada momento. Experimentamos muitas sensações que se situam quase sempre nos extremos. Raramente estamos no meio, no equilíbrio. Mas, se promovermos a harmonia podemos encontrar a felicidade que, como nos disse Thomas Mann, “consiste na harmonia e na serenidade, na consciência de uma finalidade e decidida de espírito, ou seja na paz da alma.” É este o caminho que devemos trilhar, promovendo a harmonia e procurando a felicidade. Fazer isto implica que assumamos a nossa demanda individual para que possamos acompanhar os outros na construção de um projecto mais complexo que, por sua vez, exige que todos cedam alguma coisa para serem limadas todas as arestas. Se todos fizermos um esforço as peças da vida encaixarão no seu devido lugar, com maior ou menor dificuldade. Mas este caminho não reclama a ausência de discórdia. Antes pelo contrário, ela é essencial para a promoção da harmonia. Como nos disse Heráclito, “a oposição produz concórdia. Da discórdia surge a mais bela harmonia.” Tudo depende nós, do nosso esforço e da nossa vontade. Volto à música e aos músicos para nos inspiramos no seu exemplo e promovermos todas as concordâncias, entendimentos e equilíbrios necessários à construção da harmonia que todos desejamos!