Os elementos contrários

No caminho da nossa vida enfrentamos elementos contrários. São obstáculos, dificuldades, contrariedades e afins. Quando eles vêm ao nosso encontro surgem perturbações, confrontos, paragens forçadas e desânimo. Acontece-nos a todos, com maior ou menor intensidade. Não gostamos destes encontros com os elementos contrários na medida em que nos retiram paz. Agitam-nos, convocam o nervosismo e a perturbação. Perante as forças que temos à nossa frente somos convocados para o combate que não desejamos. Mas temos que mergulhar na confusão se quisermos seguir em frente. A força dos elementos contrários mexe connosco. Obriga-nos ir até às entranhas buscar energia para a enfrentarmos. Nunca saímos ilesos das contendas com os elementos contrários. Ficamos sempre com marcas no corpo e na alma. Não saímos derrotados nem vitoriosos. Saímos diferentes. Ficamos diferentes. Aprendemos e seguimos em frente. As cicatrizes das feridas que sararam serão, para sempre, as lembranças das nossas batalhas. Apesar do sofrimento e da angústia que elas nos provocam, não as devemos temer porque elas representam transformação e avanço. É na geografia dos elementos contrários que nós aprendemos e nos fortalecemos. Se caminhássemos sempre em paz e com ventos a favor chegaríamos ao fim da nossa viagem sem sentirmos o verdadeiro desafio da vida. Nesse sentido a nossa viagem seria apenas um passeio frugal para intervalar os dias que correm. Às vezes os elementos contrários são de tal dimensão que não os podemos enfrentar sozinhos. Precisamos de ajuda. Batemos à porta dos que nos podem ajudar. Aí, nesse instante de dificuldade, aprendemos outra vez. Nem sempre encontramos a disponibilidade que julgávamos encontrar para a ajuda que precisamos em determinado momento do caminho. Por vezes é no território do nosso conforto que encontramos as maiores resistências. A ajuda para o combate chega sempre, mas vem, tantas vezes, de quem menos esperamos. Aprendemos outra vez com tudo o que nos acontece. O esperado e o inesperado. Seguimos em frente. Perdemos coisas e ganhamos outras. Sentimos que estamos mais fortes apesar das perdas e das cicatrizes. Acabamos por agradecer aos elementos contrários o desafio e o crescimento. Entretanto, preparamo-nos para o próximo embate sempre com o desejo de o evitar. Mas sabemos que o confronto mais à frente será inevitável. Seguimos caminho. Vivemos!