Miércoles, 18 de julio de 2018

Abraça-me com força!

Todos gostamos de um abraço. Todos merecemos um abraço. Todos precisamos de um abraço. A vida precisa de afectos, de abraços! E um abraço é como uma brisa que penetra na pele e que rompe todos os medos e tristezas. Um abraço é alegria. É amor. É uma força que nos dá alento para continuarmos o caminho. Um abraço revigora-nos. Alimenta-nos o coração, principalmente nos mais dias cinzentos! A vida exige muito de nós. Puxa-nos para cima e para baixo. Desgasta-nos! Quebra-nos e, por vezes, faz-nos em pedaços! Um simples abraço pode ajudar a reconstruir o que foi quebrado e a reunir o que ficou disperso. Há momentos da nossa vida em que as palavras nos enchem a alma. Gostamos de as ouvir deixando que o calor que elas emanam nos aqueça por dentro. Mas há momentos em que o silêncio de um abraço consegue falar mais alto, reparar e recompor melhor que todas as belas palavras que o vento empurra até ao nosso coração. Há momentos em que um abraço nos diz tudo o que precisamos ouvir. É por isso que gosto de abraçar com força e que me abracem com força! Gosto da determinação de um abraço sem barreiras que corre pelo rio dos afectos sem parar, fazendo poesia e chamando o sol. Um abraço é também sinal dos dias luminosos em que abraçamos os que estão connosco para, em conjunto, celebramos a vida. É o melhor antídoto para a solidão. Se abraçarmos não estamos sós. Se nos abraçarem com força seguimos com mais vigor pelo caminho. A viagem torna-se mais leve, mais solidária. Mais companheira! Gosto de saber que tenho braços à minha espera e que os meus esperam sempre por abraçar. Um abraço é uma entrega de afectos e uma extraordinária expressão do amor verdadeiro e da amizade de sempre. Um abraço leve, feito de silêncio, é como um poema que se escreve devagar enquanto observamos as águas do mar, que vão e vêm, trazendo a espuma salgada até aos nossos pés. Um abraço forte, com palmadas estrondosas, faz magia, religa-nos, envolve-nos e convoca-nos para a proximidade. Um abraço não é tudo. Mas às vezes pode resolver tudo. E nós não somos nada sem alguém que nos abrace com vontade infinita. Nós não somos nada se não abraçarmos com amor e carinho quem devemos abraçar. O toque de um abraço é uma coisa extraordinária! Por isso, não devemos deixar que os abraços deixem de o ser. Para isso, só precisamos de coração de abraçar que nos abraça sempre e em qualquer circunstância. Não devemos regatear esforços nos abraços. Devemos abraçar para espalhar afecto e a agitar o pó dos dias que pode repousar nas nossas costas se entretanto nos formos isolando. Um abraço dissolve problemas e elimina pedaços de orgulho ferido e questões mal resolvidas. Um abraço junta, convoca e alimenta-nos no caminho. Um abraço também é pão! É vida, amor e luz. É tanta coisa! Por isso gosto de abraçar com força e que me abracem com força! Num abraço tenho todos os sonhos do mundo. Num abraço sinto a força do universo e o toque de felicidade da nossa incomensurável dimensão humana.