Martes, 12 de diciembre de 2017

Correr atrás dos sonhos!

“Não sou nada / Nunca serei nada / Não posso querer ser nada / À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo” – Fernando Pessoa

A vida é curta. O tempo voa! Tudo acontecesse muito depressa! Quando somos jovens pensamos que somos imortais e sentimos que o tempo tem uma dimensão muito diferente na medida em que os dias são largos e intensos…e as noites ainda mais! Nesse tempo temos todos os sonhos do mundo! Queremos fazer isto e aquilo… e ainda mais! Sonhamos com coisas difíceis de realizar mas que, na idade da Juventude, são como a seiva que estimula o caminho. Sem sonhos não há vida! Não há caminho! Por isso, a Juventude é essa idade bela e fantástica que deve sempre ser vivida com a máxima intensidade. Mas, esse tempo não dura para sempre! A vida acontece com demasiada rapidez. É como os grãos de areia que saem da nossa mão enquanto olhamos o mar num final de tarde. Na maioria dos casos os sonhos que um dia sonhámos não se concretizaram. Muitos projectos não saíram da nossa cabeça. Outros, por circunstâncias da vida ou por esta ou aquela razão não se materializaram. O tempo vai passando. Vamos sentindo as rugas no rosto. Vamos perdendo energia e fogosidade. Chama-se a isso processo de envelhecimento; o ciclo natural da vida. Encontro muitas pessoas que dizem a propósito dos sonhos e dos projectos não concretizados que agora já não vale a pena ou que o tempo já passou. Por isso, um a um vão desistindo de todos os sonhos e de todos os projectos que idealizaram. A frustração faz parte da vida e do nosso processo de crescimento e de formação. Às vezes uma coisa que corre mal na nossa vida dá-nos mais conhecimento e sabedoria do que as coisas que correm sempre bem. Um amigo dizia-me, relativizando estas questões, que na vida não existiam coisas nem boas nem más. Existem coisas, e em cada uma delas, principalmente nas más, temos que ter a sabedoria de extrair os aspectos positivos que nelas se encontram, mesmo que seja preciso procurar muito! O sentido da vida está no equilíbrio e no caminho do meio. Não podemos andar nem eufóricos nem deprimidos em todo o tempo da viagem! Sabemos que o caminho é longo e difícil e que atravessaremos vales e montanhas. Há etapas mais difíceis e outras mais fáceis que nos deixam mais tempo e disponibilidade para celebrarmos as coisas boas da vida. Independentemente das dificuldades do caminho há uma coisa que não podemos deixar de fazer: sonhar! “O sonho comanda a vida” como nos disse António Gedeão. Todas as pessoas têm sonhos e ambição. Mas a maioria fica agrilhoada, estática, e não dá um passo em frente para os concretizar apenas porque tem medo de errar! Tem medo do que os outros possam dizer do seu fracasso! Nada de mais errado! É preciso sonhar para fazer! E se nós “podemos sonhar também podemos fazer” como nos disse Walt Disney. Temos que nos movimentar. Temos que nos mexer. Temos que ir à procura dos nossos sonhos em todas as etapas da nossa vida. Nunca é tarde! É sempre tempo de continuarmos a viagem e de sonharmos com todos os amanhãs que estão para lá da montanha que um dia destes atravessaremos. Temos que correr atrás dos nossos sonhos porque, como nos disse Rosa Luxemburgo, “quem não se movimenta não sente as correntes que o prendem”. E na verdade muitas vezes não nos movimentamos porque temos medo. Medo de nós e do nosso interior…onde reside o nosso principal inimigo e aquele que nos amarra sempre! Temos que lhe dar combate e dar força aos nossos sonhos! É neles que mora a nossa felicidade! Quando digo para corrermos não é no sentido literal. Temos que continuar o caminho mesmo que seja a andar devagar. Podemos até parar para contemplar a paisagem e olhar os campos repletos de mil flores! Mas não podemos ficar ali muito tempo. Temos que seguir viagem e fazer o que estiver ao nosso alcance para transformarmos os nossos sonhos em realidade. E se tentarmos e não conseguirmos? Não há problema nenhum…tentamos outras vez! E Tentaremos outra, e outra, tantas vezes quantas forem necessárias! Chegaremos lá! Sim, e essa é a grande alegria do caminho. Estamos sempre a tempo de sonhar outra vez e de concretizarmos os nossos sonhos, mesmo que seja no último suspiro da nossa existência! Quero morrer assim… a sonhar! Mas quero, acima de tudo, continuar a viver com o sonho coladinho à lanterna que ilumina o caminho…vou sempre atrás dela e corro sempre pelos meus sonhos!